quinta-feira, 31 de julho de 2008

Perrengues e Superações = Bem Resolvida

Postado em 30/07/08 no blog http://bemresolvidanavida.blog.terra.com.br/


Outro dia estava na sala de espera da minha ginecologista e fiquei de papo com uma menina nova que se descobriu grávida havia 3 dias. Comentei com ela como descobri minha gravidez que, claro, se tratando de minha pessoa foi de uma forma diferente, e de alguns perrengues que passei durante essa época e de como superei. Achei interessante deixar isso relatado aqui. Quando engravidei estava passando por uma fase muito conturbada na minha vida. Tinha muitos problemas com a minha mãe e resolvi sair de casa, aluguei um quarto em uma casa enorme onde outros quartos tbm eram alugados. Uma merda, mas na época aquilo me pareceu melhor do que viver com a minha mãe. Trabalhava fazendo elenco de apoio em uma novela e quando a novela acabou apareceram poucos trabalhos e a grana foi encurtando. Foi nessa fase horrível que a cegonha veio, em um descuido meu e de meu namorado, e a gente nunca se descuidava. Minha menstruação atrasou e eu fiquei desconfiada mas como ela nunca foi regular não tinha como ter certeza. Uma das pessoas que alugava um outro quarto da casa era uma umbandista que me convidou pra ir em um centro de umbanda em um sábado a noite para perguntar pra vovó (sim, riam) se tinha um neném na minha barriga. E vc acha que eu ia perder a oportunidade??? Lá fomos nós pro centro...e música vai, e música vem, e dá onze da noite, meia-noite e todo mundo recebe santo e chega então a hora de conversar com os "santos". Aquela era a noite de preto velho e tinha um monte de vovôs e vovós recebendo as pessoas. Entrei em uma fila e lá pelas tantas chegou a minha vez. Parei na frente de uma mulher loira de cabelos compridos que se sentava toda corcunda de olhos fechados e falava "axim minha fia". Fui logo sentando na frente dela e perguntando se tinha uma criança dentro de mim, ela pediu pra eu levantar e colocou as mãos na minha barriga e apertou...como se estivesse vendo lá dentro, sentindo, entende....daí (eu NUNCA vou me esquecer desse momento) ela sorriu, levantou a cabeça e meio que me olhou, embora seus olhos estivessem praticamente fechados, e disse: Tem sim, tem um neném aí dentro e é forte, vai ficar forte. Eu comecei a chorar tanto, tanto, que soluçava, meu rosto ficou todo vermelho, eu fiquei tão emocionada...coloquei minhas mãos na barriga e senti um amor profundo pelo feijãozinho que estava ali dentro. Peguei o celular e liguei na hora pra minha mãe pra dar a notícia. Liguei e falei: Mãe, tô aqui em um centro espírita, conversei com uma vovó. Ela me disse que eu tô grávida!! E falava isso chorando muito. Ela ficou chocada. Como assim a vovó te falou?? - Sim mãe, uma preta velha, um espírito, ela tocou na minha barriga e sentiu o neném lá dentro. Tô grávida!!! Fez uma voz de emocionada mas preocupada. E agora? Como vc vai fazer com essa criança??? Na hora eu não queria pensar em aborrecimentos, estava emocionadíssima e feliz, mas eles vieram... Fui passar uma semana na casa de meus tios, em outra cidade, pra arejar a cabeça e me acalmar pois andava muito enjoada. Enquanto isso meu namorado pegou meus móveis, minhas coisas e levou tudo de volta pra casa da minha mãe e quando voltei descobri que ele entregou o quarto que aluguei e "se mudou comigo" pra casa da minha mãe. Maravilha. Eu, Ele, minha mãe, minha irmã e minhas duas sobrinhas em um ap de 2 quartos. Loucura, Loucura, Loucura. Como eu passava muito mal parei de vez de trabalhar. O meu namorado estava desempregado e rapidamente conseguiu um emprego....DE BOY!! Ganhava um salário mínimo. Minha mãe é viúva e ganha um salário mínimo de pensão, naquela época ela trabalhava mas ganhava pouco. Foram meses muito difíceis, e se eu não tivesse uma cabeça bacana eu pirava, meu namorado pirou. Ele começou a usar drogas com uns amigos drogados, naturalmente, e as vezes nem voltava pra casa. No dia que fiz a ultra-sonografia e descobri o sexo do bebê, ao invés dele correr pra casa depois do trabalho pra ver o vídeo, saber o sexo do próprio filho, ele foi se drogar e não voltou pra casa. E isso foi piorando, e ele começou a ficar violento, grosseiro e me puxava pelos cabelos (grávida), me machucava, me ofendia, me xingava e eu....eu aturava pensando que eu não tinha um puto e que sem ele eu não poderia se quer comprar fraldas pra minha filha. Não poderia trabalhar, ninguém emprega mulher grávida, minha mãe mal conseguia pagar o aluguel, fazer mercado e pagar as contas. Brabeira mesmo, mas eu me manti de pé, feliz, fazia musicoterapia com a minha filha. Ouvia umas músicas calmas e bem bonitas diariamente pra nos acalmar e pra que ela não sentisse o drama que estava se passando do lado de fora da barriga. Depois que ela nasceu piorou tudo. Ele nunca estava em casa, estava mais drogado do que nunca, cagava pra mim, cagava pra ela, estava cada vez mais grosseiro e estúpido. Nós morávamos há 5 minutos de um shopping e diariamente eu levava a pequena lá, 3 vezes por dia, pra trocar as fraldas, pois o shopping desponibiliza fraldas, e todo dia estava eu lá....me sentia muito envergonhada dessa situação, estava deprimida, perdi 8 quilos, estava magérrima. Minha única felicidade era o sorriso da minha filha, o resto...minha vida era um inferno. O troço (chegou uma hora que ele passou a merecer ser chamado assim.rs) só se preocupava em se drogar, gastava o pouco dinheiro que ele tinha com essas merdas e não sobrava quase nada pra pequena. Chegou uma hora que desisti, ele estava completamente insuportável, não era mais o cara que eu conheci e me apaixonei, era outro, que eu detestava, excroto demais e mandei ele embora. Nos meses seguintes foi um desespero pra vestir e alimentar aquela criança, ele foi embora e desapareceu, não me ajudava e nem ligava pra saber se ela estava viva. Um dia o leite e a fralda dela acabaram e eu não tinha um centavo pra comprar, nem minha mãe. Aquele dia uma amiga da minha irmã me disse pra entrar em uma sala de bate papo e catar um programa, pra pensar na minha filha, que eu precisaria de dinheiro pra comprar fraldas leite e tal, que ela fazia isso sempre...no desespero entrei, me vendi, consegui um cliente, me pegou de carro, me deu uma grana, me levou pra casa dele. Incrivelmente o cara era bonito, charmoso, gostoso e a noite foi deliciosa mas no dia seguinte, já com as fraldas compradas, achei que não era com aquele tipo de dinheiro que minha filha merecia ser crianda. Fui procurar emprego, as coisas pioraram lá em casa, as vezes só tinha macarrão....a gente comia macarrão a semana toda. Eu não aguentava mais ver macarrão na minha frente!! PQP! Eu sonhava com uma picanha, com um feijão branco....uma alcatra!!! Acontece que um amio inglês que eu fiz na internet se dizia apaixonado por mim e pedia pra que eu fosse com minha filha pra lá pra Inglaterra viver com ele...ficamos teclando diariamente por quase um ano até que resolvi aceitar e fui pra lá...mas aí isso fica pra um outro post.... Hoje eu moro só com minha filha, tenho um bom emprego, me sustento totalmente sozinha, nunca mais ganhei dinheiro "fácil" nem pretendo. E por ter passado por tanta coisa na minha vida e ter superado tudo e ter mantido minha cabeça boa, minhas convicções inabaladas, minha auto-estima, meu amor próprio, meu bom humor, meu caráter....por todos esses motivos eu posso dizer que sou uma mulher BEM RESOLVIDA e que me orgulho muito de quem eu sou. Tudo que me aconteceu serviu como aprendizado do que eu devo ou não continuar fazendo. Posso ser uma safada ( !! )....mas sou uma safada com um puta caráter. Sei que tem muita gente novinha que vem aqui e lê as minhas paradas. Espero que a minha experiência sirva de alguma forma pra vocês...de uma forma boa. Ia escrever sobre outras coisas mas me chateei com umas paradas e resolvi trocar o post engraçadinho com as situações estranhas/bizarras que me acontecem por uma história mais doída. Que de qualquer forma teve sua parte bizarra com a vovó me dando a notícia!!! Beijos!!

8 cuspiram:

Garotas de Vinte e Poucos disse...

Olá!
adoro suas visitas no Garotas, sempre mto bem vinda!

E... puta enrrascada essa da menina, mas sabe que nào sinto mto dó!? Fria, eu? Não... realista!

Bjo
*Lala*

jade disse...

Te linkei viu,muito legal seu novo espaço,
Bjus.

Dona Baratinha disse...

Uau...perrengues messssssmo!
E que bom que você teve estrutura pra segurar tudo isso, poucas teriam.

Sua filha deve se orgulhar muito de ti e com toda razão, agora convenhamos, essa parte do terreiro foi de rachar de rir!!!!

Beijooooooo

Ácido Cloridrix HCL disse...

Gostariamos de te linkar lá no nosso blog, podemos????? HCL

Afrodite disse...

Gostei da nova casa!
Vai desativar a antiga?Ou manter as duas?De qq forma vou add essa tb e não vou tirar a outra enquanto vc não me der a resposta,ok?
Bjos!

LA_MALIGNA disse...

Vou adicionar seu novo blog tbm!

Nossa, que intensa essa história... Bah! Houve um tempo que eu tinha muito medo de ficar grávida, mas sabe que hoje não é mais tanto? Claro, melhor se demorar mais um pouco, mas se acontecesse agora, também não seria o fim do mundo. Eu ia ficar bem feliz de ter um feijãozinho dentro de mim, hehehehe.

E que loucura vc saber da sua gravidez pelo vovô!!! Acho que eu recorreria ao bom e velho teste de gravidez mesmo, huahuahuahuahuahua...

Beijão!

minicontosperversos disse...

Então. Muito linda e real sua história. Não tem jeito, pra chegar lá em cima a gente tem que subir. E vc subiu de uma maneira linda. Não que a gente seja bonzinho de dizer sempre essas coisas tá?

Beijo!

disse...

Parabéns querida pela história de superação. Vim aqui e gostei do que li, vc é forte e decidida, e pra ser mãea gente tem que no minimo isso: forte. o resto, é mole mole.